Banner

Leon Feffer | Pioneiros & Empreendedores

Leon Feffer (1902-1999)

18_leonfeffer

Pioneiro, junto com seu filho Max, na fabricação de papel a partir do eucalipto, inovação que alterou, a favor do Brasil, um grande setor da economia mundial.  Nos anos 30 do século passado, acompanhava pelos jornais judeus de Nova York a rota de desastre que conduzia a Europa para a Segunda Guerra Mundial.  Investiu em máquinas para a fabricação de papel em 1939, saindo na frente dos concorrentes quando chegou a hora de substituir as importações.  Além de construir um grupo empresarial poderoso, distinguiu-se igualmente como líder comunitário, presente em inúmeras iniciativas sociais, incluindo as que, nascidas da colônia judaica, transformaram-se em patrimônio nacional dos brasileiros. O Hospital Albert Einstein, em São Paulo, é um exemplo entre muitos.  Foi também diplomata de rara habilidade, cônsul honorário de Israel em São Paulo durante 25 anos.



- Nasceu na Ucrânia.
- Em 1910, seu pai imigrou sozinho para o Brasil, pois não havia dinheiro para a passagem de todos.
- Por volta de 1918, no final da Primeira Guerra, Leon empreendeu longa peregrinação pela Europa, algumas vezes com a família, à procura do dinheiro e dos documentos que autorizavam a imigração, enviados do Brasil pelo pai. A busca teve sucesso no consulado brasileiro em Paris.
- Em 1920, Leon e a família chegaram ao Brasil. Ele iniciou um pequeno negócio, vendendo papel e artigos de papelaria para varejistas. Resolveu se especializar em papel.
- Casou-se com Antonietta Teperman, com quem teve dois filhos: Max e Fanny. Na década de 1930, ampliou a fábrica de envelopes, a tipografia e o estoque de papel para uso próprio e revenda.
- Em 1941, inaugurou a Indústria de Papel Leon Feffer e Cia., no bairro do Ipiranga, com produção inicial de vinte toneladas por dia. Em 1942, a empresa adquiriu a segunda máquina, com capacidade de quinze toneladas por dia. E, em 1945, Feffer comprou a terceira máquina, uma novidade tecnológica no País.
- Em 1956, comprou a Companhia Suzano de Papel e Celulose, visando à produção de papel e celulose a partir do eucalipto.
- Em 1974, a Suzano entrou na área petroquímica.
- Na década de 1990, a Suzano se associou à Vale do Rio Doce na construção da Bahia-Sul, uma grande fábrica de celulose e papel para exportação. Na área petroquímica, a Suzano Adquiriu participação na estatal Petroflex.
- Leon Feffer foi o responsável por uma das raras inovações industriais capazes de alterar a fundo, a favor do Brasil, um grande setor da economia mundial: juntamente com seu filho Max, foi o pioneiro na fabricação de papel a partir do eucalipto.

Fonte:pioneiroseempreendedores.com.br

 
Banner
Banner

Banner
Pioneiros & Empreendedores
Portal Unifor | Fundação Edson Queiroz
Central de Atendimento | Twitter
Fundação Edson Queiroz todos os direitos reservados